Dia Mundial da Conscientização do Autismo: Direitos do Autista




Por: Ana Helena Guimarães

Dia 02 de abril é o dia de falar sobre o autismo. Essa data foi escolhida pela ONU como um momento de conscientização mundial sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), que afeta cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo. Por isso, nessa data, também é muito importante falar sobre os direitos dessas pessoas.

No Brasil, os direitos dos autistas tiveram grande avanço com a Lei Berenice Piana, que instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, garantindo direitos básicos como acesso a saúde, atendimento multiprofissional, educação e previdência.

No começo de 2020 essa Lei foi alterada para incluir a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea) para garantir atenção integral, pronto atendimento e prioridade no atendimento e no acesso aos serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.

Um grande problema para muitos portadores de TEA é a dificuldade para conseguir realizar a Terapia ABA (applied behavior analysis ou intervenções em Análise do Comportamento Aplicada), que é muito indicada para melhorar a qualidade de vida e independência da pessoa autista.

Em geral, os planos de saúde fornecem apenas a cobertura mínima estipulada pela ANS, ou seja, 96 (noventa e seis) consultas por ano de com fonoaudiólogo e 40 (quarenta) consultas com psicólogo e/ou terapeuta ocupacional. Porém quem lida diretamente com o TEA sabe que essa quantidade não é suficiente.

Por essa razão, às vezes se torna necessário ajuizar ação em face do plano de saúde para garantir o tratamento adequado ao portador de Transtorno do espectro Autista, já que os tribunais entendem que a cobertura citada é a quantidade mínima, e não um limite de atendimento.

Ainda, caso o plano de saúde não conte com profissional habilitado em sua rede credenciada, deverá se responsabilizar pelo custeio de profissional particular, bem como por despesas referentes ao deslocamento do consumidor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diabetes: conheça seus direitos!

Ebook - Telemedicina: O que é preciso para estar de acordo com a ética médica?

Plano de Saúde: 5 coisas que você precisa saber antes de contratar